18 de outubro de 2017

Ora, também sei que sou egoísta.
No escuro do cinema, quando suas mãos passeiam entre minhas pernas
Não sei dizer se desejo a ti
Ou a mim
Por conta da ânsia de sentir os escorrer das sensações.

25 de setembro de 2017

Procura-se;

É sábado,
Deito na cama e abro o livro
Movimento rotineiro
Aparentemente inofensivo
Que esconde o desespero
Folhei as páginas escritas por terceiros
A procura do meu eu foragido.

21 de setembro de 2017

Naufrágio;

Quando transborda a saudade
Me afogo em poesia
Único bote que pode me salvar
Do maremoto que era você.

9 de agosto de 2017

Ruína;



A gente já sabia.
Já dizia nossa razão
Que nosso santo não batia

Mas teimoso como és
Otimista como sou
Tampamos o tal sol com a emoção

O castigo veio a galope
O sofrimento como lição

A insistência ás vezes
É inimiga da razão.

Deixo aqui meu adeus.

27 de julho de 2017

E todas as vezes que a vida
As pessoas
Duvidarem de você,
Mostre a elas que tu pode,
Que seu santo é forte,
E não está aqui de brincadeira.

がんばってね!

10 de julho de 2017

Para meu futuro ex namorado;

O vendaval em meu coração se deu num momento em que eu não acreditava que a vida poderia se tornar mais cinza e monótona. Nem mesmo um chá bem doce de camomila no fim do dia conseguia me animar, coisa que faço rotineiramente e, você não sabe, mas valorizo demais as coisas do dia a dia. Quando senti em meu coração a pequena contração de ansiedade, e as borboletas ainda tímidas em meu estômago, eu percebi que a vida estava toda aí para mim, e que não havia mais motivos para sofrer.
O novo sorri e traz um leque de oportunidades que não posso deixar passar.
Não desta vez.
Então, apesar do desencontro, agradeço de coração o tranco que me destes. 
Me serviu de impulso para seguir com a vida.
E me desculpe pela bagunça.

どもありがとう。

23 de junho de 2017

Bate forte no âmago,
E castiga o orgulho.
Faz-me crer que não passo de um ninguém,
Que está sujeito a tudo,
Como qualquer um.

Apenas lide com isso.